Algo A Dizer
Algo a Dizer
 

Três poemas

Por Flávio de Araújo

No caminho, sem Maiakóvski
Versão de um trecho do poema No Caminho, com Maiakovski;
de Eduardo Alves da Costa

Tu pensas que sabes
Mas a nova é pior do que a velha história.
Na primeira noite eles lincham nossos filhos
Presos a carros por quilômetros,
E mesmo sob nossos pavores, eles aceleram.
Na segunda noite, já são os de sua própria família:
Eles jogam as filhas de cima dos prédios
Assassinam seus pais
Arremessam recém-nascidos nos rios
Como sacos de lixo
E, em estado de choque,
Nos calamos.
Daí nos reunimos para o almoço de domingo
E o mais endemoninhado deles
Senta-se à nossa mesa,
E já íntimo de toda regra da casa,
Chega ao extremo do absurdo
De sequer lavar as mãos antes da refeição.
E não damos nem um pio.

Quinhão

À mesa, como num tribunal
sob o juízo de nossa mãe
disputávamos, com fervor,
os melhores pedaços
da magra galinha.

As irmãs menores,
cada qual com suas asas,
balbuciavam qualquer coisa
de bom
voando entre os dentes.

O impasse era sempre
com as coxas.
Duas
para três admiradores.

Fora o confronto
tomei predileção
por peitos.

O que Freud explicaria
com a teoria das perdas

A Graça da Desgraça

Quando amarraram suas tranças
na cadeira da velha escola?
foi o primeiro a rir,
porque achava que rir
não era consentimento.
Depois os outros.

Quando resolveram jogar fezes
na parede de sua casa
e guinchar feito bichos medonhos
o primeiro a rir foi ele,
porque achava que rir disso
não era consentimento.
Depois os outros.

Então, quando a dominaram com éter
rasgando suas roupas,
o primeiro a estuprá-la foi ele.
Depois os outros.

E é sempre assim,
pois o crime obedece a certas leis de ordem:
O riso procede ao consentimento de um erro.

Depois os outros.
Flávio de Araújo é poeta e escritor
Envie seu comentário:
Nome:*
Email:**
Comentário
Imagem de verificação

*Campo obrigatório
**O e-mail não é obrigatório e não será exibido no comentário
Comentários
  Alberto Malling
11/02/2009

Muitíssimo bom poeta, onde estavas por todo esse tempo?
salve Flávio de Araújo
 
  luciana Britto
18/02/2009

Lindas poesias. bem do cotidiano mesmo. faz a gente refletir... Parabéns!!!!
 
  Silvia Campello
01/03/2009

Bom ver a nova e potente poesia subsistir ao que dizem ser e não são. O site Algo a Dizer está de parabéns por dar voz ao novo e vigoroso poeta, e como diz o amigo desconhecido Alberto Malling: Salve Flávio de Araújo!!!!
 
 

contato@algoadizer.com.br | Webmaster: Marcelo Nunes | Design - Pat Duarte